terça-feira, 30 de julho de 2013

Papo com Luísa, Fortaleza adentro.

Em agosto de 2011, eu passeava com minha filha Luísa, com então três anos, e ela me surpreendeu quando mostrei a ela uma figura que precisa ser melhor notada por todos em Fortaleza.

O contemplativo e reflexivo papo que tive com ela - entremeado de densos silêncios, foi assim tal como registrei:

- Lá vem o poeta Mário Gomes, filha.
- Mas, pai, com quem ele tá falando?!
- Com a poesia, filha.
- E cadê ela, pai?...
- A poesia está em lugar nenhum, por isso ela está em todos os lugares, filha. Vê como ele olha pra frente e pra trás e para os lados?... ele olha para a poesia...
- ...
- ...
- Mas ele também olha pra lugar nenhum, pai...
- !!!... É mesmo, filha, será que a poesia do Mário Gomes está dentro dele?...
- ...
- ...
- Pai... eu acho que o Mário Gomes é a poesia... 
- ...
- ...

Um comentário: