sábado, 26 de junho de 2010

O que é o novo?

1. Marcos Cals entrou na política por herança do curral eleitoral do pai, aliás, como muitos deputados atuais o fizeram (de norte a sul do Ceará). A prática política (má prática, na quase totalidade deles) é a mesma de seus pais representantes dos interesses de uma elite econômica parasita que se mimetiza entre os bons. Cals, vejam que ironia, ora é apresentado por Tasso Jereissati como novo, como o fim dele mesmo (o próprio Tasso). O senhor Jereissati estará cometendo suicídio político ou apenas utilizando um "amigo" como boi de piranha a fim de que lhe possa tornar amena a passagem para o senado, mantendo-se assim no poder?

2. Lúcio Alcântara durante a ditadura militar foi prefeito biônico e deu canetadas imperdoáveis. Para atender anseios de poder, traiu o PDT (que o elegera senador) e se aliou a Tasso Jereissati indo ao PSDB, legenda pela qual se candidatou ao governo do estado. Uma vez eleito, assumiu um estado falido, agiu de modo assaz subserviente. Submeteu-se às draconianas diretrizes impostas a sua gestão por Jereissati e seus capatazes, Maia Jr e Pontes. Alcântara pecou gravemente pela omissão. Quando não mais serviu aos interesses de Tasso, foi abandonado por ele. Governador, conseguiu redimir-se das canetadas do jovem prefeito que fora. Sério e de confiança, quer se candidatar agora de forma independente, para isso tem de se provar líder com peso político para deliberar com isenção as diretrizes de seu projeto de governo.

3. Cid Gomes destacou-se de vez na política por sua gestão na Prefeitura Municipal de Sobral. Aproveitou as circunstâncias favoráveis do cenário político e as transformou em conquistas econômicas e sociais para o município sob sua administração. Com isso ganhou expressão política de peso, inaugurando uma liderança expressiva no cenário estadual. Essa liderança o credenciou ao governo do estado. Aglutinou forças políticas importantes para uma gestão com foco no social e no crescimento econômico geral do Ceará. Com Cid, pela primeira vez o estado tem um projeto com participação direta da esquerda, implementou projetos de infraestrutura econômica com prioridade para a maioria dos cearenses. Sua atual gestão se coloca entre as melhores, senão a melhor da história do Ceará e é uma referência nacional. O racha com as forças mais reacionárias  do estado é natural e estabelece de vez o nome de Cid Gomes, sobretudo pela gestão de coalizão de centroesquerda, como o que há de mais novo na política cearense.

2 comentários:

  1. Brilhante,gostei bastante da análise individual que foi feita,parabéns.

    ResponderExcluir